sábado, 2 de outubro de 2010

Onde estão seus sonhos???


por Daniela Dias

Quando crianças, olhamos para o mundo com um brilho nos olhos singular, o brilho de um conquistador ou de um explorador voraz. Queremos tudo o que ele tem a nos oferecer. Não sabemos que nossos braços são curtinhos, mas o que importa é que em nossa imaginação conseguem abraçar o universo!

Como é prazeroso, alegre e divertido ouvir uma criança dizer o que ela vai ser quando crescer, o que ela vai ter e como ela ai viver, independente de sua idade ou possibilidades. Ela simplesmente sonha, sem limites e sem pensar no que é impossível. Em sua mente, tudo é possível e é real. Desde o amiguinho imaginário até sua viagem à Lua ou a Marte.

À medida que crescemos, muitos sonhos vão se modificando e então, sonhamos ser grandes profissionais de sucesso e ganhar grandes salários. Sonhamos em ter uma família feliz, amar e ser amado, ter filhos maravilhosos, educados, vencedores. Sonhamos ter uma casa, um carro, um bichinho de estimação. Queremos ter aquela conta bancária de magnata, vestir as roupas dos reis e rainhas, comer a comida dos deuses e por assim vai.

Saimos do mundo imaginário e nos deparamos com o mundo real e algumas vezes até lembramos de alguns sonhos de criança, mas muitos deles ficam pelo caminho, esquecidos na estrada de nossa juventude, na trilha de nosso adulto ou nas limitações de nossa mente.

Quando descobrimos que nem tudo é perfeito ou acontece como queríamos, desistimos de pensar e sonhar. Assim o tempo passa e a rotina, as necessidades e a responsabilidade nos desviam cada vez mais do caminho dos sonhos, restando apenas a saudade de ser aquela criança que fomos um dia, repleta de sonhos e alegria. Sabemos que por mais que a gente queira, o tempo de ser criança não volta mais.

Muitas vezes o próximo passo é apenas encher a cabeça com questões infindáveis do tipo - Onde foi que me perdi ou desviei o brilho dos meus olhos? Onde escondi a minha alegria, o meu amor, a minha simplicidade, o meu calor? Onde foi que parei de sentir e esqueci o que é viver, para apenas sobreviver? Será que algum dia eu soube ou vivi o que realmente era tudo isso? Onde foi que deixei minha naturalidade e comecei a usar as máscaras iguais às de todo mundo? Onde será que foi que peguei o atalho para o morro da felicidade ilusória e ainda por cima cai do cavalo no meio do caminho?

Perguntas, perguntas e mais perguntas surgem na nossa mente e ficam sem repostas. Ficamos perdidos no saudosismo do tempo e mais uma vez esquecemos de viver o presente. Assim, mais uma vez impossibilitamos nossos antigos e novos sonhos de se realizarem!

Seu mundo está precisando de um pouquinho de cor, de brilho, de luz, de alegria, de calor, de som, de movimento ou tudo isso junto? Quer “voltar” a ser aquela criança sonhadora com a realização de um adulto? Basta você descobrir onde estão os seus sonhos! O que posso te dizer é que eles estão, com toda a certeza do mundo, exatamente no lugar onde você os deixou!

Como você faz para re-encontrá-los? Siga a receita:

1- Encontre um lugar na sua casa onde você possa relaxar por alguns momentos e estar somente com você.
2- Neste tempo com você, em primeiro lugar desligue o julgamento ou aquelas vozes internas que só atrapalham.
3- Depois, se permita dar asas à imaginação, sem medo de parecer ridículo ou com medo do que as pessoas vão pensar de você – “viaje na maionese”.
4- Anote todos os seus sonhos em um papel, independente se parecerem estranhos ou não.
5- A cada dia, neste lugar sozinho com você, escolha um destes sonhos e vista-o como se fosse uma roupa; e então viva-o em sua imaginação, com todos os detalhes que possa imaginar.
6- Em um outro momento, avalie se eles são possíveis ou se você quer realmente realizá-los.
7- Se a resposta for sim, coloque o objetivo e a emoção de poder cada um destes sonhos na sua vida e assim encontrará a motivação que estava faltando em sua vida – fazer coisas por você e para você!

Seja muito Feliz, Sonhe e Realize muito!

1 comentários:

 
Créditos Template http://cantinhodoblogger.blogspot.com/ By Cris Duarte/março de 2010